segunda-feira, 31 de agosto de 2009

III. A Páscoa, mistério de Abertura...

A presença do Espírito Santo significa imediatamente que a Ressurreição de Jesus não é um acontecimento fechado; aliás, é todo o contrário, é o Acontecimento, a Hora da plena abertura, entrega e comunhão de Vida!

Já na sua história a vida de Jesus, o Ungido, consagrado, conduzido pelo Espírito de Deus é uma vida de entrega, doacção e serviço: «Pois o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por todos» (Mc 10,45).

À luz da história, dos factos, a morte de Jesus resulta do processo desencadeado pelas autoridades judaica e romana; mas ao nível mais profundo e pessoal, é Jesus quem confere o Sentido à sua própria morte, como a Hora da entrega plena e filial nas mãos do Pai (Lc 23, 46), que coincide exactamente como uma vida entregue pelos irmãos, imediatamente.

É de facto esse o sentido máximo que encontremos na derradeira Ceia de Jesus com os discípulos íntimos, a Ceia na qual Jesus aponta o sentido da sua vida e missão, o sentido da sua morte: como vida entregue e partilhada, Vida que se torna alimento, comunhão pessoal, e Vida na qual se inaugura a Nova Aliança da Presença e Salvação de Deus para a Humanidade: «O Senhor Jesus na noite em que era entregue, tomou pão e, tendo dado graças, partiu-o e disse: «Isto é o meu corpo, que é para vós; fazei isto em memória de mim». Do mesmo modo, depois da ceia, tomou o cálice e disse: «Este cálice é a nova Aliança no meu sangue; fazei isto sempre que o beberdes, em memória de mim» (1Cor 11,23-25).

Já estamos longe de ver a Ressurreição de Jesus como uma espécie de "reposição" da sua condição divina, um destino quase que "automático" da vida e missão de Jesus. A Ressurreição não é meramente uma "prova" de fé na divindade de Cristo, não é de facto a aventura solitária de um homem especial. Não o pode ser, o mistério da Páscoa de Jesus não o deixa ser! Ele é o Ressuscitado "pelo poder do Espírito Santo" (Rom 1,4), o Espírito Santo que, na linguagem bíblica, é o Poder, a Vida e a Glória de Deus que actuam na Criação e na História. Ressuscitado no Espírito Santo, a Páscoa deste Homem, Jesus, torna-se o Acontecimento, o Drama, o Processo, a Dinâmica, a Aventura maior de Salvação para toda a Humanidade!

Porque, neste mistério do Espírito Santo no qual o drama da Páscoa se desenrola, o mistério pessoal de Jesus, o seu mistério como pessoa, desenrola-se na sua plenitude, encontra a sua máxima e plena realização (Heb 5,9): este Homem, que escreveu a sua história pessoal nesta fidelidade ao Espírito do Pai, na total entrega e doacção de vida, este Homem encontra agora a sua plena realização. A morte é o acontecimento de máxima entrega e doacção, na Ressurreição esta Vida encontra a sua Universalidade máxima: na própria vida de Deus, que gera, ama, acolhe, chama, pronuncia o nome do seu Filho:

«E nós estamos aqui para vos anunciar a Boa-Nova de que a promessa feita a nossos pais, Deus a cumpriu em nosso benefício, para nós, seus filhos, ressuscitando Jesus, como está escrito no Salmo segundo:
Tu és meu filho, Eu hoje te gerei!» (Act 13,33)

Como é um Mistério do Espírito Santo, a Páscoa é um Mistério de Comunhão Pessoal, de relação, reciprocidade, Dom e Entrega, do Filho para o Pai, do Pai para o Filho... e como é um Mistério do Espírito Santo, a Páscoa torna-se um Acontecimento Universal: a Vida do Filho já não mais lhe pertence, ou pertence-lhe absolutamente, pois pertence ao Pai que a torna pertença de toda a Humanidade. É um Mistério de Abertura, total; e nós estamos lá, lá somos abraçados, nesse Mistério, nessa Hora, lá nascemos. Como Filhos...

«Recebestes um Espírito que faz de vós filhos adoptivos. É por Ele que clamamos: Abbá, ó Pai! Esse mesmo Espírito dá testemunho ao nosso espírito de que somos filhos de Deus» (Rom 8,16)...

3 comentários:

calmeiro matias disse...

Rui Pedro:
Obrigado por esta reflexão tão profunda.
Um abraço
Calmeiro Matias

Sol da manhã disse...

:)
:)
:)

Sol da manhã disse...

:) :) :)!

..." É um Mistério de Abertura, total; e nós estamos lá, lá somos abraçados, nesse Mistério, nessa Hora, lá nascemos. Como Filhos..."

SIIIIIIIIIIIMMMMMMMMMM :)!

... segundo comentário sem jeito nenhum....