domingo, 2 de setembro de 2007

Abraão: a Aliança que caminha, que confia, que é fecunda...


O Senhor disse a Abrao: deixa a tua terra, a tua familia e a casa do teu pai, e vai para a terra que Eu te indicar. Farei de ti um grande povo, abençoar-te-ei, engrandecerei o teu nome e serás uma fonte de bençãos.

Abrao partiu, como o Senhor lhe dissera. (Gen 12, 2-4)


Diz a Biblia que Abraão era muito velho quando deixou a sua terra e se pos a caminho, e que Sara era muito velha quando deu à luz o seu filho Isaac. Deste modo, a Bíblia proclama o Poder de Deus que propõe uma Aliança a Abraão, pai do Povo, pai dos Crentes como diz Paulo.

Na história de Abraão descubro duas dimensões fundamentais da Aliança: a Fé e a Fecundidade.

A é o contrário do medo e da instalação, a Fé é acreditar na Palavra de Deus que se compromete connosco na nossa vida e connosco caminha para novas terras, novos passos, onde possamos ser fecundos.

A Fecundidade, a descendência, grito que cada um de nós leva no coração: pois qualquer Aliança de Amor é fecunda, gera vida, entrega-se por Amor, e mesmo que tenhamos que sair da “nossa terra”, dos nossos pequenos mundos. Quem vive por Deus e em Deus, fonte de toda a vida, não pode ser uma figueira estéril.


Pai Santo e Bom, Abbá:
desde toda a história que tu entras na vida
daqueles coraçoes que te escutam e te amam.
Tu os convidas a partir para novas terras, novas aventuras
que só dentro da tua Aliança de Amor fazem sentido:
Ajuda-me a confiar muito em ti,
a ter a certeza de que és um Pai bom e fiél
nas tuas promessas.

E ajuda-me, Pai, a nao ter medo de viver
a doaçao, a entrega e o serviço do teu Amor,
Amor que tu vais fecundo no teu Espirito,
no Espirito de Jesus.

3 comentários:

Anónimo disse...

Obrigado por me teres ajudado a ver Deus mais próximo e real

Luis Sousa disse...

Rui,
tu nem sabes a força e o alento que me dá ler coisas como as que escreves e saber que as escreves de coração e não de um grito esporádico de inteligência…
Hoje apenas quero agradecer a Deus por te ter colocado na minha vida, ao olhar para o nosso passado hoje dou graças por ele, por todos os momentos de alegria e de casmurrice, olho para eles e dou graças como pedra fundamental no meu crescimento como pessoa.

Graças Bom Deus pela vida fecunda do Rui Pedro,
Graças pelo seu coração disponível ao Teu convite,
Graças pela garra e a Fé arrogada no anuncio da Aliança do Amor,
Graças por nele ter encontrado um irmão…

E Pedro se me permites vou pedir-te um favor:
Não deixes de partilhar connosco as tuas descobertas da procura da Economia da Salvação.

Isto já vai longo para quem raramente tem a coragem de escrever alguma coisa depois de ler o que pessoas como tu escrevem…

Um grande obrigado
e um grande abraço

Luís Sousa

Inês disse...

Nem imaginas como estas tuas palavras vieram a calhar! Estava muito preocupada com os catecismo de 5ºano para o novo ano 2007/2008... estava na hora de mudar! E eis que estás a ser uma execelente mediação neste novo projecto!
Obrigada por ti! e sê muito bem-vindo, pois precisamos de ti para nos tornarmos mais fortes!
Beijo