domingo, 6 de janeiro de 2008

Timóteo, um discípulo

Bem, amanhã tenho de apresentar na faculdade um trabalho sobre as cartas de Paulo a Timóteo. Assim, aproveito para partilhar-vos um pouco deste discípulo de Paulo, sem dúvida o seu mais amado. E desejem-me sorte!

“É que não tenho ninguém com igual disposição, que tão sinceramente se preocupe pela vossa vida. De facto, todos os demais procuram os próprios interesses, não os interesses de Jesus Cristo. Mas as provas dadas por ele, vós as conheceis: como um filho para com o pai, entregou-se comigo a servir o Evangelho” (Flp 2, 20-22).

Timóteo, um grego, acompanhou Paulo nas suas viagens missionárias, e foi como que seu delegado em diversas comunidades que fundou e em diversas missões. Paulo chama-lhe “filho na fé” porque foi pela sua mediação que Timóteo descobriu o Evangelho de Jesus e a ele entregou a sua vida (a Fé acontece sempre na nossa vida por mediações que testemunhas o que vivem e conhecem…). Isso permite a Paulo tratá-lo com toda a sinceridade e autoridade, como de um pai a um filho. E as recomendações que lhe deixa, nas suas duas cartas, são verdadeiras para qualquer discípulo e, de modo particular, para um evangelizador.

“Ninguém escarneça da tua juventude; antes, sê modelo dos fiéis, na palavra, na conduta, no amor, na fé, na castidade. Enquanto aguardas a minha chegada, aplica-te à leitura, à exortação, ao ensino. Não descures o carisma que está em ti, e que te foi dado através de uma profecia, com a imposição das mãos dos presbíteros. Toma a peito estas coisas e persevera nelas, a fim de que o teu progresso seja manifesto a todos. Cuida de ti mesmo e da doutrina, persevera nestas coisas, porque, agindo assim, salvar-te-ás a ti mesmo e aos que te ouvirem” (1Tim 4, 12-16).

“Por isso recomendo-te que reacendas o dom de Deus que se encontra em ti, pela imposição das minhas mãos, pois Deus não nos concedeu um espírito de timidez, mas de fortaleza, de amor e de bom senso. Portanto, não te envergonhes de dar testemunho de Nosso Senhor” (2Tim 1, 6-8).

Um Carisma é a vida de consagração pelo Espírito para o serviço da Comunidade, a entrega do díscipulo pelo Reino no seu Baptismo no Espírito. Viver o Carisma é viver a relação com Cristo, como discípulo, é sintonizar a vida segundo os apelos do Espírito Santo na mediação da Palavra, da Comunidade, da Oração. É aqui que reside a única autoridade do missionário, do profeta e apóstolo – nesta abertura ao Espírito, neste Seguimento de Cristo. Só aqui Timóteo pode cumprir a sua missão, foi aqui que Paulo deu a sua vida, e agora confia como testamento ao seu discípulo: é o Bom Combate, o da Fé.

“Esta é a recomendação que te confio, meu filho Timóteo, de acordo com o que predisseram algumas profecias a teu respeito: apoiado nelas, combate o bom combate, conservando a fé e a boa consciência” (1Tim 1, 18-19).

Espírito Santo, Paráclito dos discípulos:
Também hoje continuas a suscitar e conduzir
Os discípulos de Jesus,
todos os que entregam as suas vidas pelo Evangelho.
Que sejas sempre Tu, Espírito de Cristo Ressuscitado,
A fazer acontecer o Seguimento.

um grande abraço

2 comentários:

procuro... disse...

Obrigado pela partiha.
Assim posso ficar mais "rico"...
Boa Sorte!!!

Sol da manhã disse...

BOA SORTE!!!

GRANDE ideia os links dos textos!
ehehehehhehe!

OBRIGADO!

E um ano de 2008 sempre NOVO e muito Feliz!