sexta-feira, 4 de abril de 2008

III Domingo do Tempo Pascal

Como prometido, aqui estão os textos para a celebração deste Domingo, com o Evangelho dos Discípulos de Emaús (Lc 24, 13-35):


Introdução (quando acendemos o Círio Pascal)

Irmãos:
Celebramos hoje a presença de Jesus Ressuscitado que se põe connosco a caminho, tal como com os discípulos de Emaús. A Experiência Pascal é uma caminhada que fazemos juntos, como irmãos, dois a dois, ao longo de toda a nossa vida. E nesta caminhada, irmãos, é o próprio Jesus Ressuscitado que se torna presente e nos conduz pela mão nos passos da Palavra, da Fracção da Pão e da fraternidade, e do envio a testemunhar.

Estás connosco, Irmão, Mestre, no nosso caminho…
Ainda que estejamos cegos na nossa desilusão, no nosso medo,
Ainda que a noite caia e as trevas nos cubram,
Tu caminhas connosco. E se paramos no caminho,
tu também paras e ficas connosco.
Vamos então, Senhor, pomo-nos a caminho:
Explica-nos as Escrituras, faz-nos arder o coração,
parte connosco o Pão da fraternidade e da partilha do Reino,
e envia-nos a testemunhar na alegria a tua vitória.

Oração dos Fiéis

Jesus Ressuscitado, Senhor:
Como proclama Pedro, o Apóstolo, a tua Ressurreição significa a vitória e confirmação da tua vida por Deus-Pai. Ajuda-nos também a consagrar a nossa vida segundo a vontade do Pai, a viver segundo as tuas causas e opções, a aderirmos à construção do Reino de Deus.

Senhor:
És tu, vivo e presente entre nós, que queres construir connosco uma história pascal, uma história de mergulho, de baptismo na tua Vida Ressuscitada. Ajuda-nos, Jesus de Nazaré, a caminhar contigo na nossa vida, a receber-te na nossa casa, a escutar-te na tua Palavra, a construir contigo uma história pascal.

Senhor:
Guiados pelo teu Espírito Santo, temos a missão de ser presenças e construtores do Reino do Pai no seio da Humanidade. Ajuda-nos a continuar a dinâmica da Fracção do Pão, da Partilha e da Fraternidade por ti iniciada, seja no seio da comunidade dos teus discípulos, seja com todos os nossos irmãos.

Fracção do Pão e Comunhão

És tu, Senhor, que nos acompanhas ao longo de toda esta Celebração. Como na nossa vida sempre nos acompanhaste. Por isso hoje celebramos essa tua presença permanente. Presença de Ressuscitado. Presença de Irmão que se faz sempre próximo e companheiro de viagem.

Sim, Mestre, és o nosso companheiro. E queres fazer-te reconhecer pelos teus discípulos e amigos. Parece que precisas da nossa companhia. Já não és capaz de abdicar de nós. Por isso te pões a caminho connosco. Arriscamo-nos a dizer, Mestre, que como Ressuscitado a primeira coisa que precisas de fazer é estares presente junto dos teus. E nós te aclamamos: nosso Senhor, e nosso Mestre, Jesus de Nazaré.

Queres levar-nos no teu Espírito Santo a saborear, a tomar o gosto da tua Palavra Viva. Caminhar na Palavra contigo Mestre é muito mais do que conhecer as Escrituras: é descobrir tudo o que te diz respeito na nossa vida, e quantas coisas…É descobrir-te como o sentido novo que ilumina todas as nossas cegueiras, os nossos medos, mortes, angústias. Como é bom, Mestre, ver-te presente na Escritura da nossa vida.

É no caminho da Palavra, Mestre, que descobrimos o rosto e o jeito de ser de Deus na nossa história; é pela Palavra que vamos mergulhando no seu projecto de amor sonhado e querido para toda a humanidade. E por isso, é pela Palavra, Mestre, que entramos na novidade central e radical desse grande acontecimento: ressuscitaste. Tinha de ser assim Mestre, não podia ser de outra maneira, e mesmo assim nunca podíamos imaginar semelhante coisa: ressuscitaste…
É assim, no teu Espírito que nos fazes arder o coração.

Tu dás-te a conhecer, Mestre, não pelos símbolos, mas antes pelos gestos. É este o teu mandamento: que nos amemos uns aos outros como tu nos amas. É este amor que queremos construir na partilha do Pão e na fraternidade. Por isso te reconhecemos hoje, Mestre, na fracção deste Pão partido e repartido. É este Pão partido, é esta fraternidade, é este gesto assente na tua Palavra e no teu Espírito que nos faz teu Corpo.

E é vivendo este gesto, Mestre, de partir e partilhar o teu Pão que nos tornamos mediação da tua presença no mundo. É vivendo este gesto como teus discípulos que nos tornamos instrumentos da construção do Reino de Deus. É para este gesto, é para este modo de vida que somos enviados em missão, a continuar na tua presença a Eucaristia que celebramos.
grande abraço e boa celebração!

3 comentários:

Sol da manhã disse...

Hmmmmmmmmmmmmmmm...

Muito Obrigado aos dois!

Boa Celebração!

Boa Missão!

SHALOM

Anónimo disse...

Caminhamos em comum-unidade. Obrigado por esta partilha, que vai enriquecer a nossa Festa dos Corações Agradecidos.

Claudia, Susana e Rita JR

Victor e Mila disse...

A celebração foi de tal modo enriquecedora que as palavras são pouco para expressar tudo o que sentimos...Sabem,é daquelas experiências que nos abanam cá por dentro e de maneira alguma nos deixam indiferentes.É de louvar a vossa missão.
O nosso muito obrigado para vocês.