terça-feira, 27 de maio de 2008

o Vinho Melhor

O chefe de mesa provou a água transformada em vinho, sem saber de onde era - se bem que o soubessem os serventes que tinham tirado a água; chamou o noivo e disse-lhe: «Toda a gente serve primeiro o vinho melhor e, depois de terem bebido bem, é que serve o pior. Tu, porém, guardaste o melhor vinho até agora!» (Jo 2, 9-11)

Também já ouvi um dia que confundir o Evangelho com moralismo é querer misturar água ao vinho – eu não sou um apreciador de vinho, mas parece que é retirar-lhe toda a força, todo o sabor, toda a alegria, toda a paixão. E é verdade.

No Evangelho de João a Água é um símbolo fundamental – tal como no deserto Deus fez brotar a água da rocha para o Povo no Êxodo, assim agora o Messias Enviado do Pai fará brotar de si a Água Viva, o Espírito Santo que jorra Vida Eterna. Sim, essa Água é fundamental, mas não as águas mortas, paradas, das Seis talhadas de pedra do ritualismo e do legalismo judaico – essas águas não trazem a Alegria às Bodas, à Aliança, como todas as nossas águas, águas rotineiras, águas de mediocridade, águas de superficialidade, águas do homem velho…

Sim, todas essas águas, as do judaísmo como as nossas, são chamadas a ser transformadas em Vinho, o melhor Vinho, o Vinho reservado para o fim, para a Nova Aliança, para a Plenitude dos Tempos… É o papel do Noivo, e dos servos, os amigos do Noivo, os discípulos que sabem de onde vem o Vinho, como sabem de onde vem o Noivo.

Todas as tentações de moralismo vão caindo quando nos encontramos com este Noivo e com todo o Projecto, toda a Economia sonhada, projectada, conduzida, escrita numa História pelo Pai com a sua Humanidade, numa Pedagogia sublime, para chegar à Plenitude dos Tempos, o Vinho melhor… Sim, esta é a Hora, a Hora das Bodas, da Nova Aliança. Uma Salvação a acontecer, a inaugurar-se, na Graça definitiva e Plena do Pai que “tanto amou o mundo que enviou o seu Único Filho” (Jo 3, 16), o “Filho que está no Seio do Pai, pleno de Graça e de Verdade” (Jo 1, 14.18).

Alguém falou em casamento, Espírito Santo, em Aliança?
Talvez lá atrás, desde o princípio, com Israel, com a Humanidade,
Promessa de Eleição, na qual o Deus Criador desposará o seu Povo…
Linguagens, Espírito Santo, expressões, experiencias
Para proclamar este Projecto, este Sonho do Pai
No Rosto do nazareno, o Primogénito da Nova Humanidade…
Espírito Santo, Paráclito dos Discípulos, Amor e Graça do Pai,
Pedagogo da história, Vida Nova,
Faz nascer a minha vida na Alegria e na Paixão pelo Reino,
Pelo Evangelho, pela Nova Aliança da Plenitude do Tempos!


com um abraço muito forte ao Gustavo, um verdadeiro companheiro do Noivo,
que hoje é o seu aniversário!

2 comentários:

susana disse...

Sim... Paráclito, Sopro de Deus... faz nascer as nossas vidas "na Alegria e na Paixão pelo Reino,
Pelo Evangelho, pela Nova Aliança da Plenitude do Tempos!"...

Muito Obrigada por ti, Rui Pedro!...

E um abraço muito especial para o Gustavo... que nunca falte o teu "vinho novo" à mesa com o nazareno Jesus Vivo!...

Rui disse...

PARABÉNS AO GUSTAVO!!!!!

Pronto, era só isto...

Grande Abraço para ti também, oh economista da Salvaçao... Sim, economista, porque o Ecónomo é OUTRO...

SHALOM