domingo, 21 de dezembro de 2008

Gostava de contar-te uma História...

Viva! Partilho hoje convosco um longo texto de meditar/aprofundar o Prólogo de João, sem duvida o texto com um sentido mais profundo de leitura do Natal e Vida de Jesus à luz da Páscoa e de toda a História da Salvação. O Prólogo é um poema desta História, e o que partilho é um texto que foi utilizado num momento de oração organizado pelo Grupo JR daqui de Gaia. COm esta partilha desejo a todos, desde já um bom Natal, bem celebrado!


Gostava de contar-te uma História… Gostava de partilhar contigo, neste momento, a História do Natal, a História que celebramos cada ano. É uma História de Amor: eu chamo-lhe a História de Deus com a Humanidade. A História de uma Palavra. A História de uma Pessoa, uma só Pessoa a quem todos pertencemos, e que nos pertence também.

Já ouviste falar de certeza de alguma coisa que seja Património Universal da Humanidade? Como uma região, uma paisagem… Pois olha, a História que eu te quero contar hoje é a História de uma Pessoa, um Homem, que se tornou Património Universal da Humanidade. Um Homem que nasceu para nós, um dia. E que se tornou nosso. A História do Filho, a Palavra do Pai, do Abbá. Queres caminhar comigo? Dás-me a tua mão e vamos caminhar juntos ao longo desta História?

«No princípio existia a Palavra;
A Palavra estava em Deus;
E a Palavra era Deus.
No princípio Ela estava em Deus.

Deixa-me fazer-te uma pergunta: o que está no Princípio da tua vida? Qual é, ou quem é o Princípio da tua vida, o Principio que te guia, que te inspira, o Sentido com quem constróis a tua História, a História da tua Vida? Quem é o teu Princípio, a tua Palavra, o teu Sentido?...

Deixa-me dizer-te um segredo, que vivo como das maiores alegrias da minha vida: esta História, este Projecto que somos nós, a quem chamamos de Humanidade, este Projecto tem Sentido. Tem um Sentido, um Principio, uma Palavra. Deus, ao sonhar esta História que somos nós, está a sonhá-la com uma Palavra, uma Palavra de Amor, um Sonho de Amor… Ainda antes de haverem estrelas e planetas, ainda antes de a Terra existir com todos os seus elementos, ainda antes do primeiro Homem começar a sua aventura da humanização… já Deus sonhava com este Projecto, com este Sonho, com esta Palavra para a Humanidade.

Sabes qual é a melhor Palavra que podes escutar daqueles que te trouxeram à vida, os teus pais e todas as pessoas que te amaram e amam? Tu foste sonhado desde há muito tempo, há muito tempo que te queríamos e esperávamos… Tu foste, e és, um Desejado. Pois é esta a Palavra que Deus te diz há muito tempo, e te pode dizer hoje também…

«Por Ele é que tudo começou a existir;
e sem Ele nada veio à existência.
Nele é que estava a Vida
de tudo o que veio a existir.
E a Vida era a Luz dos homens.
A Luz brilhou nas trevas,
mas as trevas não a receberam.


Sim, eu sei o que estás a pensar. Podes não o estar a pensar agora, mas de certeza que o pensas muitas vezes. Se a Vida, a História, a minha vida fazem assim tão Sentido, então porquê todas estas experiencias de sofrimento, de fracasso, de desilusão, de medo? Porquê todos os saltos e quedas, todas as rupturas e desilusões? Porquê todo este pecado e toda esta morte? Porquê…

E eu não tenho resposta a dar-te… Esta é a História de uma Palavra, de um Amor que percorre toda a Humanidade e se encontra com recusas, com bloqueios, com estruturas de, deixa-me falar assim, anti-Amor… De uma História da Humanidade, de uma História da nossa Vida construída também à força de erros, bloqueios, pecado… É a tua experiencia, é a minha, é a experiencia que podemos ver e ouvir…

Mas deixa-me dizer-te um segredo. Deixa-me dizer-te um segredo com todas as forças que eu puder: apesar de tudo, apesar de tudo isso, com tudo isso também… mesmo assim, Deus não desiste. Deus não desiste, Deus não pode desistir, Deus não consegue desistir, a sua Palavra, o seu Amor são maiores, muito maiores, tremendamente maiores! Deus não desiste do seu Projecto, da sua Menina dos Olhos que é a Humanidade, a nossa Humanidade, que és tu, que sou eu, que somos nós, os nosso projectos de Amor e Aliança… Sim, porque o nosso Deus é o Deus da Aliança… Aliança de Amor

E quero que olhes à tua volta. Quero que olhes à tua volta, para a tua vida, para o que estás a viver neste momento, nas tuas alegrias e tristezas, esperanças e sofrimentos. E gostava que descobrisses, sim que descobrisses esta frágil, silenciosa, humilde História de Amor que está a acontecer… Que está a acontecer através de tantas pessoas, experiencias, projectos, de relação, de comunhão, de perdão, de amizade, de partilha… Sim, descobre isso, no meio das tantas multidões que te apertam todos os dias com noticias que não são boas noticias. E descobrirás aquilo que diz João na sua Primeira Carta:

«Queridos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo aquele que ama nasceu de Deus e chega ao conhecimento de Deus. Aquele que não ama não chegou a conhecer a Deus, pois Deus é Amor»

«Apareceu um homem, enviado por Deus, que se chamava João. Este vinha como testemunha, para dar testemunho da Luz e todos crerem por meio dele. Ele não era a Luz, mas vinha para dar testemunho da Luz.
A Palavra era a Luz verdadeira,
que, ao vir ao mundo,
a todo o homem ilumina.
Ele estava no mundo
e por Ele o mundo veio à existência,
mas o mundo não o reconheceu.
Veio para o que era seu,
e os seus não o receberam.


Certamente já ouviste falar de João Baptista, e de Israel, e de tudo o que nós chamamos de Antigo Testamento… É a história de um Povo, um pequeno Povo, perdido nas areias do Médio Oriente, que foi descobrindo, através de muitas experiencias, aventuras e desventuras, o Rosto de um Deus que queria fazer História com ele. Uma História de Aliança, de Promessa, de Esperança num futuro de Paz, de Justiça, de Felicidade. Um Deus Bom, um Deus Justo e Libertador, um Deus Fiel e Verdadeiro, um Deus Paciente… Um Deus que, por incrível que parece, nos deseja e nos ama como a Menina dos seus Olhos.

Deste Povo saiu um homem, que já ouviste falar, chamado João Baptista. Ele era um Profeta, um homem apaixonado por Deus e pela Verdade que dava a sua vida em nome dessa Verdade. Os Profetas, em Israel, estavam junto do Povo para que este nunca perdesse a esperança na Presença e no Amor de Deus. Além disso, os Profetas também denunciavam tudo o que era contrário à Aliança, tudo o que era contrário ao Amor, a opressão, a mentira, a violência. Por isso os Profetas normalmente acabavam mal, perseguidos, isolados, ou mortos… Faz-te lembrar alguém, não faz?... Alguém que, em nome da verdade de Deus a quem chamava de Abbá, recusava todas as opressões e sonhava com uma Nova Humanidade… E que também foi rejeitado, morto, crucificado… Já sabes de quem estamos a falar, não já?... E hoje podes ver também tantos Profetas, homens e mulheres que, em nome da verdade de um mundo melhor, mais humano, são perseguidos, isolados, mortos…

Mas deixa-me dizer-te de novo um segredo: a História não acaba aqui… Podemos perseguir e matar a Verdade do Amor, podemos passar indiferentes na nossa Vida a esta História… Mas o Amor, a Palavra, o Sentido desta Humanidade, sai vencedor. Saiu vencedor. Venceu. A Vida venceu. Sabes porquê?

«Mas, a quantos o receberam,
aos que nele crêem,
deu-lhes o poder de se tornarem Filhos de Deus.
Estes não nasceram de laços de sangue,
nem de um impulso da carne,
nem da vontade de um homem,
mas sim de Deus.

Sim. A Palavra venceu, e vence. O Amor vence, Deus é Fiel. Deus é fiel à sua História, à História da sua Humanidade. E o seu Sonho venceu. Está inaugurado. É este o Sonho, é este o Projecto, é este o Sentido para o qual Deus sonha a Humanidade desde toda a Eternidade do seu Amor, que é um Amor Eterno e Pleno. É para isto, é assim que somos sonhados, sabes, tu, eu, nós. Como Filhos. Filhos. Amados. Queridos. Sonhados. Da sua Vida, da sua própria Vida, sim, da Vida do Pai, da Vida do Abbá…

É este o segredo que te quero contar, é esta a Festa que podemos celebrar, desde já, desde o Natal, até à Páscoa, que significa Passagem, nascimento, Vida Nova… Apesar de todas as resistências, quedas, rupturas, a História da Humanidade, sim desta Humanidade que somos, esta Familia a que pertencemos, é já uma História com Sucesso… Somos Filhos de Deus. Não apenas segundo os nossos pequenos horizontes da nossa família, do nosso grupo de amigos, da nossa raça ou país… Filhos segundo o Amor, Irmãos segundo o Amor, a Palavra de Amor que percorre e constrói a tua História.

Este é o segredo: na medida em que permites e escolhes o Amor, a Palavra do Amor como o centro da tua Vida, estás a nascer no seio de uma Familia Universal, de irmãos, homens e mulheres, todos Filhos do mesmo Abbá. Somos da Familia de Deus! Da sua Vida, do seu Amor, da sua Eternidade que vence todas as rupturas da morte.

E escuta, agora, no teu coração: «És meu Filho muito amado, em que tenho todo o meu agrado», todo o meu Amor… Sonho-te desde sempre, desde o Princípio… E a tua Vida, a tua História como Pessoa em construção nesta aventura de viver, tem uma Palavra, uma Palavra que está sempre contigo: Amo-te…

«E a Palavra fez-se Homem
e veio habitar connosco.
E nós contemplámos a sua glória,
a glória que possui como Filho Unigénito do Pai,
cheio de graça e de verdade.
Sim, todos nós participamos da sua Plenitude,
recebendo graças sobre graças.
É que a graça e a verdade vieram-nos por Jesus Cristo.
A Deus jamais alguém o viu.
O Filho Unigénito, que é Deus e está no seio do Pai,
foi Ele quem o deu a conhecer.

Sim. Queres saber como é que tudo isto é possível. Queres saber como tudo acontece. Queres saber que Palavra é esta, a Palavra que Deus tem a dizer-te na tua vida. A Palavra do seu Amor… E se eu te dissesse que esta Palavra, que é o Sentido de toda a História, esta Palavra é uma Pessoa? Um Filho?

Olha, é como eu dizer-te: sabes quem é o melhor rosto do Amor dos teus pais, do teu pai e da tua mãe? Quem é a melhor prova, a melhor evidencia do seu Amor, do seu Projecto de Amor? És tu. O Filho. O melhor Rosto, a Palavra que te diz, que te explica, que te revela, que te mostra, que te dá este Amor de Deus, é o Filho.

Já viste? Já reparaste? Já pensaste bem nisto? A Palavra que te fala de Deus, do seu Amor, é um Filho. Um Filho que nós conhecemos, chamado Jesus de Nazaré. Sim, estás bem a ver este Homem, esta Pessoa, que já vais conhecendo um bocadinho, este Homem chamado Jesus, que reconhecemos como o Filho do nosso Deus? Já imaginaste como há-de ser este Amor, este Amor ser medida, que se revela num Filho, e num Filho cujo Rosto, cujo Coração é Jesus? Sim, aquele Jesus!

Deixa-me contar-te a sua história: Jesus de Nazaré foi um Homem preparado pela história do seu Povo, Israel, um Homem preparado que na sua vida, construída e vivida como Homem, como Pessoa, como um de nós, se deixou amar e seduzir pelo Amor de Deus, a quem chamava na sua língua materna de Abbá, Papá. Nele habitava o Espírito de Deus, o Espírito Santo, Ternura Maternal de Deus, que o gerou, o amou como Filho… E Ele descobriu-o e saboreou-o, e proclamou-o como a maior Boa-Noticia de toda a História: Deus ama-nos como Filhos, somos Filhos, e a nossa Vida é assumida, abraçada, gerada por este Amor. Vai nascer uma Nova Humanidade, uma Humanidade de Irmãos, filhos deste Abbá, que construam a sua vida, a sua história, nesta Palavra de Amor, segundo o Amor…

E na plenitude da sua Vida, rasgada pela morte e morte violenta, de Cruz, na Plenitude da sua Vida Deus, o Abbá, Ressuscitou-o. Tornou-o Património de toda a Humanidade, Universal, Presente, e a sua Vida, a Vida daquele Homem, a sua Graça já nos pertence, porque Ele nos pertence, é nosso irmão, dos nossos! A sua Vida pertence-nos, pertence-te, a ti, a mim, a nós, a esta Humanidade que somos e formamos… Somos Filhos, Filhos amados, unidos a Ele, o nosso Irmão, o Filho que é o Primogénito de muitos irmãos.

Vês este sonho, este Projecto? Imagina toda a história da Humanidade, desde as origens até hoje, e até o futuro; imagina a tua vida, toda a tua história, pequena ou grande, bela ou dura; e escuta agora isto: tudo isso já pertence à própria Vida de Deus, ao seu Amor… Já lhe pertencemos como Filhos, numa só Familia, numa só Humanidade que nasceu, e continua a nascer hoje, na Páscoa de Jesus, a Palavra, o Filho…

E gostava que tudo isto te fizesse sentido. Gostava que a tua História, a tua Vida, te fizesse sentido, como uma História de Amor. Gostava que acreditasses, mesmo, em ti próprio: estás a nascer como Filho do Abbá, como membro desta Familia, desta Humanidade. Que começou a nascer num Homem, numa Pessoa que muito amamos. Jesus.


Um grande Abraço e um Bom Natal.

Que continues a escrever a História desta Palavra que é um Filho, na tua vida...

3 comentários:

Inês Monteiro disse...

Obrigada Amigo!

Mila disse...

Obrigada Rui Pedro!
Não imaginas o sentido novo que está a fazer para mim este Natal!!!

figlo disse...

Rui Pedro, "sortudos" são os jovens que têm quem, de mão dada, parta com eles à descoberta daquilo e dAquele que dá cor, sabor e sentido verdadeiros aos nossos dias e às nossaa relações...
Sentimo-nos edificados e muito gratos ao Pai por termos podido estar presentes. Para nós,fez todo o sentido celebrar a Vida e o Amor, partilhar a refeição de Festa e partilhar das vossas descobertas em tempo de silêncio e oração. Um abraço. Glória e Carlos