sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

a Lei do Espírito que dá a Vida libertou-te...

«Porque um menino nasceu para nós,
Um Filho nos foi dado»
(Is 9,6)

«Toda a Criação está na Esperança de alcançar
a Gloriosa Liberdade dos Filhos de Deus»
(Rom 8,21)

Se por acaso perguntassem a Paulo o que distinguia os cristãos, os discípulos de Jesus, estou convencido de que ele responderia: a Liberdade. É a Liberdade o grande sinal de alguém que faz encontro na sua vida com o Ressuscitado Jesus. A Liberdade de Filhos. Liberdade Gloriosa.

Um grande privilégio é poder celebrar o Natal como um Acontecimento, o nascimento de Jesus, à luz da Páscoa e de toda a História que Deus faz com a Humanidade. E Paulo tem este privilégio, o que me parece que faz dele um apaixonado pelo Evangelho de Jesus, que ele anuncia como uma missão: «Ai de mim se eu não evangelizar» (1Cor 9,16).

E para Paulo, a História sofre, com o Acontecimento de Jesus, o Ressuscitado, um salto de qualidade tremendo. Novo. Em que as antigas lógicas passam, para dar lugar a novas. Em que a Promessa de Abraão se realiza em favor de todos os povos (Gal 3,8); a lei servia como pedagoga até que se inaugurasse o tempo da Nova Aliança, em Cristo: «Deste modo, a Lei tornou-se nosso pedagogo até Cristo, para que fôssemos justificados pela fé. Uma vez, porém, chegado o tempo da fé, já não estamos sob o domínio do pedagogo. É que todos vós sois filhos de Deus em Cristo Jesus, mediante a fé» (Gal 3,24)

Assim, o muro da separação entre judeus e gregos é rompido, formando um só Homem Novo (Ef 2,14), onde «já não há judeu nem grego, homem ou mulher, escravo ou homem livre, pois todos são um só em Cristo Jesus» (Gal 3,28). É uma Nova Humanidade, onde todas as leis e lógicas do homem velho, do egoísmo, do medo, da divisão e separação, são renovadas e transformadas pela força do Espírito de Cristo.

E porquê? Porque no centro, no centro desta experiencia de Paulo, e das comunidades, está a descoberta da Salvação em Cristo: somos Filhos de Deus. Somos Filhos gerados, abraçados, adoptados, no Filho. No Cristo de Deus. «Mas, quando chegou a Plenitude dos Tempos, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sob o domínio da Lei, para resgatar os que se encontravam sob o domínio da Lei, a fim de recebermos a adopção de filhos. E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: "Abbá! - Pai!"» (Gal 4,4-6)

E que tal se neste Natal, o começo da Hora Pascal em Jesus, celebrássemos a Liberdade que nos é dada, oferecida, proposta como Amor de Graça, Liberdade de Vida Nova, Vida de Filhos, no Filho? Em Jesus? «É que a lei do Espírito que dá a vida libertou-te, em Cristo Jesus» (Rom 8,2)

um grande abraço!

3 comentários:

Sol da manhã disse...

L-I-B-E-R-D-A-D-E...

Só em alguém muito L-I-V-R-E como Jesus de Nazaré, poderia nascer uma Nova Humanidade encabeçada pelo Primogénito...

L-I-B-E-R-D-A-D-E...

"Um de nós"..."um de nós"...

Muito Obrigado!

Um grande abraço, Rui Pedro!

Renatinha disse...

Lindo blog!!!!!!!
Deus abençoe!!!

zedeportugal disse...

Caríssimos,

Venho pedir-vos que, na medida da vossa vontade e da vossa disponibilidade, suportem e ampliem esta causa de vida e de justiça.
http://umjardimnodeserto.nireblog.com/post/2008/12/18/nao-ha-causa-maior-que-a-da-vida
Não mais é possível a passividade face ao verdadeiro genocídio moderno que é o aborto.
São precisas 4000 assinaturas até ao fim do ano nesta petição.
http://www.gopetition.com/petitions/revisaoleiaborto/signatures.html
Bem-hajam.

José de Portugal