domingo, 23 de novembro de 2008

Sonhar uma Igreja... (I)

Viva! Esta semana vou partilhar aqui alguns textos breves do card. Carlo Martini, no livro que elaborou, em forma de entrevista, com o jesuita austriaco G. Sporschill, Colóquios Nocturnos em Jerusalém. O card. Martini, durante 23 anos bispo de Milão, tem actualmente 81 anos e vive em Jerusalém. Ficou conhecido pelo seu excelente trabalho como biblista, a sua pastoral em Milão e as suas posições de renovação no seio da Igreja. Este livro apresenta precisamente algumas reflexões sobre a missão da Igreja, a partir da experiencia de Martini.
«Pertence agora à geração mais velha: que sonhos tem sobre a Igreja?

O profeta (Joel 3,1) recorda aos anciãos que devem transmitir à posterioridade os seus sonhos, e não as decepções da sua vida. Eu estou contente de que hoje posso sonhar aqui, em Jerusalém, como Jacob, que viu subir e descer aos anjos pela escada do céu. Hoje encontro-me com muitas pessoas de todo o mundo e de diferentes religiões. Entre eles estão os anjos com os quais se nos concede reunirmos aqui na terra.

Antes tinha sonhos sobre a Igreja. Sonhava com uma Igreja que percorre o seu caminho na pobreza e humildade, com uma Igreja que não depende dos poderes deste mundo. Sonhava que se extirpara de raiz a desconfiança. Com uma Igreja que dera espaço às pessoas que pensam com maior amplitude. Com uma Igreja que dera animo, especialmente a aqueles que se sentem pequenos e pecadores. Sonhava com uma Igreja jovem.
Hoje já não tenho mais esses sonhos. Aos 75 anos decidi-me a orar pela Igreja. Olho para o futuro. Quando chegar o Reino de Deus, como será? Como me encontrarei depois da minha morte com Cristo, o Ressuscitado? Sempre fui um entusiasta de Teilhard de Chardin (jesuíta francês, 1881-1955, procurou uma linguagem da Fé de acordo com os desenvolvimentos científicos, sobretudo relativamente à evolução do Cosmos e do Homem), que vê encaminhar o mundo para uma grande meta onde Deus seja tudo em todos. A sua utopia é uma unidade que outorga a cada um o seu lugar pessoal, transparente e aceite por todos os demais. O que é pessoal segue de pé, mas todos somos um em Deus. A utopia é importante: só se tiveres uma visão, o Espírito te eleva por cima dos pequenos enfrentamentos. »
Coloquios Nocturnos em Jerusalém, ed. S.Pablo, Madrid 2008, p. 97
um grande abraço!

2 comentários:

Romeu disse...

tu que és jovem, tens "obrigação" de continuar a sonhar uma nova Igreja ;-)

um abraço,

figlo disse...

Eu , que já não sou nada jovem, continuo a sonhar com uma Igreja que seja "tudo para todos" como o Mestre ...a acreditar e a querer que assim seja... eu também sou parte dessa Igreja pecadora...falheira...pouco caridosa...pouco acolhedora... mas creio na presença atenta do Espírito de Santidade, que renova o tempo e renova os corações...o meu, o teu e os de todos os que se sentem pertença do projecto de felicidade que Deus tem para toda a Humanidade. Tenho uma únida certeza - esse projecto está a caminho! um abraço Glória